Blog do Projeto TAMBOR DE SOPAPO

O Projeto TAMBOR DE SOPAPO: resgate histórico da cultura negra no extremo sul do Brasil conta com um blog para difundir suas atividades. Acompanhe a construção do documentário no tambordesopapo.blogspot.com

Abaixo confira a matéria publicada no site da SECOM – Prefeitura de Pelotas:

Do passado ao presente, o Carnaval de Pelotas segue se destacando pela preservação das raízes. O instrumento secular que deu origem ao compasso do samba e teve presença marcante na construção da cultura gaúcha se transformou em peça rara desde os últimos anos do século passado. A busca pelo tambor de sopapo trouxe ao Carnaval de Pelotas um grupo portoalegrense de cinco pesquisadores que trabalham na produção de um documentário.
Integrante da cooperativa Catarse Coletivo de Comunicação, o grupo que desenvolve o projeto Tambor de Sopapo: resgate histórico da cultura negra no extremo sul do Brasil, veio à Doce Folia à procura de imagens do instrumento em uso. E não se decepcionaram.
A cidade, que junto de Rio Grande introduziu o instrumento no Estado, trouxe para a Passarela do Samba dois exemplares do sopapo. “Demos muita sorte e encontramos um ritmista da bateria da Banda Entre a Cruz e a Espada e outro na Ki-Bandaço e imediatamente os acompanhamos ao longo do desfile” comemorou o diretor do filme documentário, Gustavo Turck.
A proposta do projeto patrocinado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Arquitetônico Nacional (IPHAN) é reunir um compilado composto de dois livros, um DVD e o longa. “Queremos traçar um resgate da importância do instrumento na construção da cultura gaúcha. Os motivos do desaparecimento deste componente e estimular o seu ressurgimento, sempre vinculado à contribuição deixada pelo trabalho afro-descendente”.
O grupo é composto por Gustavo Turck (diretor do filme), Sérgio Valentin (coordenador do projeto), Leandro Anton (coordenador do Quilombo do Sopapo), Sarah Brito (produtora) e Marcelo Colgo (diretor de trilha). Eles ficam na cidade até o dia 19, depois seguem para Rio Grande.

Matéria publicada no site da Prefeitura de Pelotas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *