João Cândido hoje

2010 é tempo de celebrar os 100 anos da Revolta da Chibata e os 130 anos do nascimento de João Cândido. Nascido no Rio Grande do Sul, em 1880, o marinheiro é o principal líder da Revolta da Chibata, levante ocorrido em novembro de 1910, no Rio de Janeiro.

Os marinheiros exigiam melhores soldos, alimentação digna e o fim da prática da chibata nos navios brasileiros. O movimento eliminou da Marinha de Guerra a prática dos castigos corporais como punição aos marujos. A revolta abalou as estruturas do governo da época, que teve de tomar medidas rápidas para atender às solicitações dos rebeldes e trazer a paz de volta às águas da Guanabara. João Cândido e seus companheiros se tornaram exemplos de luta pelos direitos humanos.

Para que esta importante passagem da história nacional não se apague de nossa memória, o Grupo Afluentes e o Comitê Latino Americano realizam uma atividade neste sábado, dia 26 de junho (Rua Vieira de Castro, 133 – Porto Alegre).


Carta enviada pelo Comitê Geral, dirigente da revolta, ao Marechal Hermes da Fonseca, presidente da República:

Rio de Janeiro, 22 de novembro de 1910

Ilmo. Exmo. Sr. Presidente da República Brasileira

Cumpre-nos comunicar a V. Exa. Como chefe da nação brasileira: nós marinheiros, cidadãos brasileiros e republicanos, não podendo mais suportar a escravidão da Marinha Brasileira, a falta de proteção que a pátria nos dá; e até então não nos chegou; rompemos o negro véu, que nos cobria aos olhos do patriótico e enganado povo.

Achando-se todos os navios em nosso poder, tendo a seu bordo prisioneiros todos os oficiais os quais tem sido os causadores da Marinha Brasileira não ser grandiosa porque durante vinte anos de república ainda não foi o bastante para tratarmos como cidadãos fardados em defesa da pátria, mandamos essa honrosa mensagem para V. Exa. faça nós marinheiros brasileiros possuirmos os direitos sagrados que as leis da república nos facultam, acabando com as desordens e nos dando outros gozos que venham engrandecer a Marinha Brasileira; bem, assim como: retirar os oficiais e incompetentes e indignos de servir a Nação Brasileira, reformar o código imoral e vergonhoso que nos regem a fim de que desapareça a Chibata o bolo e outros castigos semelhantes; aumentar o nosso soldo pelos últimos planos do Ilustre Senador José Carlos de Carvalho, educar os marinheiros que não tem competência para vestirem a orgulhosa farda, mandar por em vigor a tabela de serviço diário que a acompanha.

Tem V. Exa. o prazo de doze (12) horas para mandar-nos a resposta satisfatória, sob pena de ver a pátria aniquilada.

Bordo do Encouraçado S. Paulo em 22 de novembro de 1910.

Nota – não poderá ser interrompida a ida e volta do mensageiro.

Marinheiros

“Ele (João Cândido) deixou para a família a noção de que este mundo era desigual e isto ele sentiu na pele com a Revolta da Chibata. Ele dizia na comunidade de marinheiros que não deviam se rebaixar e se humilhar. E isso ele passou para todos os filhos também. Eu aprendi e fui à luta, participo nas associações de moradores, no movimento negro e de mulheres. Parada eu não fico.

A lição que meu pai deixou é que se a gente tem um ideal, e não se sente bem com uma situação e se puder reverter essa situação, que não devemos esperar pelos outros, temos que arregaçar as mangas e lutar para mudar. Com luta ou com diálogo, vamos nós mesmos tomando as rédeas do nosso destino, porque abaixo de Deus nós temos esta condição. Não podemos esperar que a solução dos nossos problemas venha só de cima.”

(Zeelândia Cândido de Andrade, filha de João Cândido, em entrevista ao Jornal da Marcha, no ano de 2005).

Para saber mais sobre João Cândido e a Revolta da Chibata:

– Projeto Memória sobre João Cândido, da Fundação Banco do Brasil (textos, fotos e video-documentário): http://www.projetomemoria.art.br/

– Reportagem da revista IstoÉ sobre a anistia incompleta de João Cândido:
http://www.istoe.com.br/reportagens/60677_HEROI+INJUSTICADO

– Entrevista com Aldir Blanc, compositor da letra de “O mestre-sala dos mares”, em parceria com João Bosco, autor da música:
http://www.censuramusical.com/includes/entrevistas/ALDIR_BLANC.pdf

– “O mestre-sala dos mares”, letra original:
http://www.youtube.com/watch?v=f9c7sY5TNTQ&feature=player_embedded#!

Dois livros que indicamos sobre João Cândido:

João Cândido – O Herói da Ralé
CHIBATA! João Cândido e a Revolta que Abalou o Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *