LLAMADA PORTO ALEGRE: oficinas de candombe e encontro de tambores

LLAMADA PORTO ALEGRE
Oficinas de candombe e encontro festivo com tambores uruguaios e brasileiros
Convidado especial: Sebastián Jantos* (Uruguai)

No mês da consciência negra, Tamborearte Produções e o Centro Cultural Afro-Sul Odomodê promovem a integração de tambores brasileiros e uruguaios. O evento aconterá em dois momentos: uma oficina e uma festa, ambos ligados ao candombe, cultura popular e tradicional afro-uruguaia tocada e dançada principalmente no período de carnaval.

A oficina acontecerá em três módulos progressivos, dias 24, 25 e 27 de novembro, das 19h às 21h. No sábado, último dia da oficina, será realizado um encontro festivo na qual o oficineiro, compositor e multi-instrumentista uruguaio Sebastián Jantos e seus convidados especiais (Filipe Narcizo, Lucas Kinoshita e Zé Ramos) farão um show autoral para abrir a noite. Seguem a festa o grupo Maracatu Truvão e a cuerda de candombe do oficineiro, Guerreros Ijigbò. Por último, e em comemoração ao legado percussivo africano, as alfaias e os tambores uruguaios farão uma integração com tambores irmãos. Dentre eles, o gaúcho tambor de sopapo, os djambês do Odomodê Tambor, os berimbaus e os tambores de Maçambique do Nação Periférica.


Durante a festa, os oficinandos terão a oportunidade de mostrar o resultado tocando juntos em uma comparsa, formação com grande número de tambores de candombe. O grupo Africanamente fará uma roda de capoeira Angola e nos intervalos das apresentações, Lucas Luz discotecará seu set cheio de ritmos das diversas culturas tradicionais e populares do Brasil. Dentre eles, côcos, maracatus, congados, carimbós, cirandas, caroços, bandas de pife, afoxés, jongos, sambas de roda e é claro, candombes e murgas uruguaias.


Oficina: 24, 25 e 27/11
Horário: 19h -21h
Investimento: R$ 20,00 cada módulo, pacote antecipado dos 3 módulos R$ 50,00.

Festa Show: 27/11
Com Sebastián Jantos e convidados, Cuerda Guerreros Ijigbó, Maracatu Truvão e tambores irmãos.
Horário: 22h
Ingresso: R$ 8,00

*Sebastián Jantos é músico e multi-instrumentista: arranjador, compositor, toca percussão, baixo, guitarra, violão, acordeón e canta melodias com peculiaridades rítmicas. Apreciador e pesquisador da música brasileira, tem feito shows por Maranhão, Ceará, Santa Catarina, Curitiba, Porto Alegre, Pelotas, entre outros. Sebastián tem um CD lançado intitulado “Fui Yo” e está gravando outros 2, “Hoy” (também solo) e “Próximo”, com Javier Cardellino. http://www.myspace.com/sebastianjantos

Oficina de Percussão:
Tambores de Candombe, com Sebastián Jantos (Uruguai)

O Candombe é uma manifestação da cultura popular uruguaia com suas raízes na herença percussiva africana. Os tambores são tocados nas ruas, principalmente nos carnavais e feriados, acompanhados de muita dança. Em grande número, os tambores consituem uma comparsa e em menor número são chamados de cuerda, que deve ter no mínimo 3 tambores: o chico (mais agudo e com função de condução), o repique (médio e responsável pela clave e floreios) e o piano (o mais grave e que dá a marcação), cada um tem uma técnica específica de ser tocado.
Com foco na prática e integração dos participantes, a oficina abordará alguns ritmos tocados no carnaval Urugauio, como o Candombe, a Habanera, o Milngón e os Afros, além da contextualização e história da música afro-uruguaia.

Datas: 24, 25 e 27/11 (quarta, quinta e sábado).
Local: Afro-Sul Odomodê (Av. Ipiranga, 3850).
Horário: 19h às 21h.
Faixa etária: a partir de 13 anos.
Nível: não há pré-requisitos. Se tiver tambor de Candombe e baquetas, favor levar.
Preço: R$ 20,00 o dia de oficina. Pacote com os 3 módulos R$ 50,00 até 22/11.

Inscrição e reservas:
Pelo e-mail: jumkino@terra.com.br , aos domingos no Odomodê, das 12h às 15h no restaurante Mantra (Rua Santo Antônio, 372) ou no instituto de bateria Bateras Beat (Rua Garibaldi, 698).
As inscrições só serão efetuadas a partir do pagamento e as vagas são limitadas.

Módulos da Oficina de Candombe:

Módulo I
01. Introdução;
02. Construção, desenvolvimento e evolução do gênero em um marco de referência geográfico e temporal;
03. Primeira aproximação aos elementos musiciais do candombe;
04. “Ping-Pong” de perguntas e respostas.

Módulo II
06. Estudo pormenorizado dos elementos musicais do candombe (os tambores, sua técnica de execução, os padrões rítmicos e suas variações conforme os bairros de Montevidéu;
07. Prática com os participantes.

Módulo III
08. Prática com os participantes;
09. Introdução a outros ritmos tocados nas “comparsas afro-uruguaias”
10. Formação de uma “cuerda de tambores” para sair na rua tocando.

Assuntos Abordados
ANTECEDENTES HISTÓRICOS:
Orígens
As nações
Das nações às sociedades
As comparsas das sociedades de negros e “lubolos”
Os tambores
Os bairros

A MÚSICA AFRO-URUGUAIA:
A expressão musicalo afro-uruguaia
O tambor
Toques básicos
A música dos tambores
Toques de madeira
Toques de piano
Toques de chico
Toques de repique
Música que executam os tambores nos cenários de carnaval.
Milongón
Habaneras
Afros

APOIOS: Ponto de Cultura Ventre Livre, Catarse Coletivo de Comunicação, Nazari Stúdio, FÉsta Pesquisas em Culturas Populares e Tradicionais, Instituto de bateria Bateras Beat, Bataclã FC, Nação Periférica, Mantra Restaurante, Africanamente, Maracatu Truvão e Pizzinha.

REALIZAÇÃO: Tamborearte Produções.

Uns vídeos:

Sebastian Semperena da Cuerda Guerreiros Ijigbò: http://www.youtube.com/watch?v=akKcX-aZCs4&feature=mfu_in_order&list=UL

John Silva do Nação Periférica: http://www.youtube.com/watch?v=bV14Tqpg7xQ&feature=mfu_in_order&list=UL

Edson Angoleiro do Africanamente: http://www.youtube.com/watch?v=UEtwvU_cmaI&list=ULUIcuzlvm3xE&playnext=1

Lucas Kinoshita da Tamborearte: http://www.youtube.com/watch?v=zGZr4daXLQg

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *