Tambor de Sopapo é destaque no carnaval de Porto Alegre

“O Sopapo foi amplamente usado a partir da década de 1940 em escolas de samba nestas cidades (Rio Grande, Pelotas e Porto Alegre*). O tempo promoveu uma migração do instrumento para outros contextos. Artistas /grupos musicais se apropriaram do instrumento no final da década de 1990, ressemantizando sua sonoridade e conferindo status diferenciado ao Sopapo, como elemento identitário e ideológico.
O Projeto CABOBU, idealizado pelo músico Giba-Giba e realizado em Pelotas em 2000 e 2001, foi responsável pelo ressurgimento do Sopapo e por esta recontextualização. Através de uma oficina de construção do instrumento, quarenta Sopapos foram doados aos músicos participantes, entre eles Naná Vasconcelos e Djalma Corrêa, culminando com uma bateria composta por Sopapos, num festival de três dias com palestras sobre a cultura musical afrobrasileira e shows onde o Sopapo estava presente em todas as apresentações, numa grande Festa dos Tambores.”
O texto acima, retirado da introdução da tese de doutado do etnomousicólogo Mario de Souza Maia, é um excelente contextualizador da cena cultural que gerou o projeto “Tambor de Sopapo”do Coletivo Catarse, desenvolvido durante o ano de 2010. Quando elaboramos o projeto, já vínhamos acompanhando e também ajudando a articular ações de resgate do tambor, como o desfile da escola de samba Bambas da Orgia em 2009, que devolveu o sopapo ao carnaval de Porto Alegre após 30 anos de ausência.
Quando começamos nossas filmagens para o documentário “O Grande Tambor”, partimos da construção da identidade do Tambor de Sopapo e sua relação com o carnaval, o grande carnaval de Rio Grande, Pelotas e posteriormente Porto Alegre, que ocorreu entre 1940 e 1970. Constatamos que a sua retirada do carnaval e quase completa extinsão, tem relação direta ao declínio do carnaval do RS e à invisibilidade que a cultura negra possui na construção de identidade gaúcha, representada pelo positivismo branco.
Neste contexto, fica ainda mais relevante o que a escola de samba de Porto Alegre “Império da Zona Norte” fez no carnaval deste ano, levando o músico e ativista cultural Zé Evandro como destaque na bateria, tocando um Tambor de Sopapo. A bateria nota 10 que é comandada pelo grande Sandro Gravador, garantiu mais uma vez que este instrumento volte a fazer parte da maior celebração brasileira, que é o carnaval. Ações como esta trazem o sopapo de volta não somente à avenida, mas também à memória coletiva do estado do RS.
Abaixo vídeo da bateria no sambódromo de Porto Alegre:
*N.E.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *