Que caiam os muros mentais que oprimem a Palestina

Um mundo sem muros, sem bloqueios, sem discriminação racial e livre do patriarcado foi o tema que reuniu dezenas de pessoas na conferência da manhã desta sexta (30), no Fórum Social Mundial Palestina Livre.

Segundo o professor Paulo Daniel Farah, diretor do Centro de Estudos Árabes da USP, todos conhecem o muro na fronteira dos Estados Unidos com o México, o mundo inteiro se reuniu para celebrar o fim do muro de Berlim, mas poucas pessoas sabem do muro que Israel levantou para oprimir os palestinos, que é muito maior do que o que dividiu a Alemanha.

O Muro de Israel possui enormes dimensões, com uma extensão de 721 km, 8 metros de altura, trincheiras com 2 metros de profundidade, arames farpados e torres de vigilância a cada 300 metros – tudo isso para ser intransponível. No ano de 2004, o Tribunal Internacional de Justiça declarou a ilegalidade do muro e acusou a obra de separar e isolar aproximadamente 450 mil pessoas. Além disso, segundo o Tribunal, algumas partes do muro invadem territórios palestinos.

Para o representante sul-africano presente no debate, é preciso derrubar os muros mentais do sionismo, para que os outros muros também caiam.

O vídeo a seguir mostra o professor Paulo Farah declamando um impactante poema de um escritor árabe, e encerra falando da necessidade de se enfrentar a raiz dos problemas do conflito:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *