Tainhas no Dilúvio – Episódio/cena 5: tempestade

A tempestade que chega é da cor do medo. A Natureza demanda de volta aquilo que lhe tiram. Espaços dantes protegidos por capões de mato, que seguravam umidade, que faziam barreiras ao vento, ao darem espaço a lavouras em ambientes próximos às cidades, agora formam literalmente planos livres, como ringues, nos quais se chocam massas de ar frio com massas de ar quente sem nenhum obstáculo. Literalmente a cidade explode. A impermeabilização dos solos cobra seu preço. Avenidas viram rios, cruzamentos viram lagos. Riachos, valões, viram avalanches de entulhos. Mas carros não são barcos, pessoas não são peixes, árvores não são algas…

Assista ao episódio de hoje!