Da Retomada da Ponta do Arado Velho à Tekoa Ygere: Força e Resistência Mbya Guarani

Enfrentando uma violência cotidiana, os Mbya Guarani que retomaram sua terra ancestral na Ponta do Arado seguem resistindo aos ataques dos empresários da fazenda do Arado, todos respaldados pelas instituições estatais!

No mês passado, o processo que até então criminalizava os Guarani e todas as pessoas que os visitavam foi mandado para a justiça federal fazendo então cair as liminares que judicialmente isolavam os Guarani de qualquer forma de solidariedade.

Mesmo assim, é com muita alegria que, desde a retomada, em junho do ano passado, que os Guarani reabitam a ponta do Arado, devolvendo aos seres da floresta, à agua, às arvores, aos bugios, a alegria. Além disso, várias individualidades e grupos de pessoas solidárias com a retomada se organizaram para fortalecer a comunidade e tornar visível sua luta. Vigílias e visitas na comunidade foram organizadas, vídeos, blogs, textos e programas de rádio realizados, e, no dia 24 março, aconteceu uma jornada solidária na praia de Copacabana que acolheu mais de 150 pessoas.

No dia 15 de junho, festejou-se um ano da retomada, hoje, a comunidade já formou uma Tekoa que chamou de Yjere, em referência à importância da água que rodeia a ponta do Arado. Nesta celebração, nos encontramos novamente na praia de Copacabana ao som da Digna Rabia. As falas de Timóteo, o cacique da Tekoa, nos transportaram a um ano atrás, quando a comunidade Mbya Guarani decidiu retomar essa terra, e é com firmeza que, diante da repressão, eles resistiram e seguem resistindo ao projeto megalomaníaco que busca transformar a Ponta de Arado em um condomínio de luxo.

Dia 19 de junho, quarta-feira, às 9h45, acontecerá uma audiência pública na Sala de Convergência Adão Pretto na Assembleia legislativa. A presença de todxs em solidariedade aos Guarani é muito importante!

Viva a Tekoa Yjere
Aguyjevete!

*Fotos retiradas da página Facebook do Retomada Mbya Guarani das Terras do Arado Velho
**Texto: Tinkamó

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *