Mobilização na frente da Fepam exige audiência pública da Mina Guaíba em Porto Alegre

Nesta sexta feira (dia 13/09/2019) das 11 até as 13 horas, entidades do Comitê de Combate à Megamineração no RS fizeram uma ação em frente a sede da Fepam, na avenida Borges de Medeiros 261. O grupo pressionou o órgão estadual para promover uma audiência pública do projeto Mina Guaíba (de mineração de carvão) na cidade de Porto Alegre. Além disso, também se manifestou contra a instalação de um polo carboquímico no Estado.

Além de informar a população que passava pelo centro de Porto Alegre conversando e usando caixas de som, os defensores do meio ambiente também coletaram assinaturas em um abaixo assinado. A organização do evento estima que centenas de pessoas tenham sido impactadas pela atividade ao passar pelo local, assim como os funcionários da Fepam que saiam em horário de almoço.

Diversos especialistas alertaram para os riscos socioambientais deste projeto que busca implementar a maior mina de carvão da América Latina a menos de vinte quilômetros da capital. Membros das comunidades impactadas também se manifestaram em defesa da agricultura orgânica praticada no local disputado pela mineradora.

Segue abaixo a cobertura ao vivo feita pela comunicação do Comitê de Combate à Megamineração no RS.

Um comentário em “Mobilização na frente da Fepam exige audiência pública da Mina Guaíba em Porto Alegre”

  1. Excelente!!!a população de Porto Alegre precisa saber sobre os impactos negativos da mina Guaíba. Desastres na área ambiental que não serão revertidos: a área alagada de banhado, flora e fauna diretamente afetadas, poluição dos rios Guaíba e Jacuí….
    Mas, principalmente as populações que vivem no local, que trabalham com agricultura ecológica, os índios e os moradores de Eldorado que estão iludidos com a geração de empregos.
    Porto Alegre pagará a conta pelos desastres, pelo crime ambiental e pelas futuras indenizações que virão.
    Manifestação já, fora carvão, nunca Mina Guaíba.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *