Heavy Hour 63 – Revoluconvulsionando…

Chile, Equador, Haiti… O grito unido dos oprimidos atravessa mares e montanhas e ecoa no Estúdio Monstro do Coletivo Catarse. Quem é nosso sujeito revolucionário? Enquanto nós, Classe Média do Coletivo Catarse, derretemos nossos cérebros pensando em como sairmos desse buraco em que estamos, toda gente, enfiados, fomos ouvindo relatos, colecionando palavras e emoções de quem está vivendo as barricadas andinas, ouvindo suas canções e hinos de resistência… No estúdio a Anarquista Carmem Puebla e o Lutador social Roberto del Monte nos falam sobre suas formas de ver o que acontece no Chile, na América e o que eles vivem aqui no Brasil, na luta diária. Essa luta que acumula e constrói novos mundos! Roberto, odeia metal, Carmem gosta de Death Metal e por isso o programa de hoje é uma ode ao punk revolucionário, à cumbia subversiva e a eterna Nina Simone. Viajem pelas veias da América Latina, agora ainda mais abertas e VIVAS!

Para contribuir nessa viajem, recebemos participações diretas desde o calor da revolta: o companheiro Grosso e o aspirante a anarquista e educador social, Mause. Ainda, o amigo venezuelano e professor de antropologia social da UFRGS, Pablo Quintero, contribui mais uma vez com a construção do nosso programa!

Playlist:
Inimigo Eu – Autoritário Opressor
Brian – Manutenção
Ana Tijoux – Cacerolazo
Aztra – Yo Te Nombro Libertad
Banda Bonnot – Himno Insureccionalista
Apatia No – Contra Ti Capitalismo
Nina Simone – Four Women
Damas Grátis – Policia que vida elegiste vos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *