Dead Fish sem subjetividade em Porto Alegre

No último 20 de Outubro, em Porto Alegre, a banda Dead Fish fez seu primeiro show na capital divulgando o seu novo álbum, intitulado Ponto Cego.

Dead Fish sem subjetividade em Porto Alegre.

Desde o ano de 2015, em momentos pré-golpe, a banda já vinha deixando cada vez mais claro o seu posicionamento de “esquerdopatas”, e, com isso, os questionamentos nas redes sociais começaram a ficar cada vez mais frequentes, a ponto que, hoje, existe até uma pagina no Facebook chamada “Todo dia um comentário escroto de um fã de Deadfish” – e diversos memes sempre surgem a respeito.

Para algumas pessoas, chega a ser estranho e até espantoso que elas nunca tenham percebido que o Dead Fish seja de esquerda. Por mais que grande parte de suas canções mais clássicas se tenha muita subjetividade e diversos temas abordados, tem outras canções bem conhecidas e muito tocadas em shows como “MST” e “Mulheres Negras”, em que eles escancaram seu posicionamento.

Mas, mesmo com essas canções, houve muitos “fãs” que, de 2015 para cá, começaram a deixar de seguir a banda por causa da “política”, porque o Dead Fish começou a misturar politica, só falava de politica em shows… Outros até sabiam, mas gostavam apenas do instrumental e, como agora a caixa de pandora foi aberta, deixaram de seguir a banda.

Enfim, isso tudo é algo que está toda hora vindo à tona, e, por mais que a banda tenha perdido alguns “fãs”, certamente ganhou muitos outros e, com a gravação e lançamento do seu 8º disco, firmou de vez em sua história que eles são “esquerdopatas”, pois “Ponto Cego” é um daqueles álbuns que vem com os dois pés, um legítimo soco de esquerda para nocautear seus ouvintes, um disco que não possui nenhuma subjetividade, sem nenhum ponto cego para “fãs” bitolados.

E o show não seria diferente, e eles mostram que não são apenas uma banda que aproveita o momento para escrever e falar de política diretamente.

Durante o show, algumas falas entre as músicas não foram sobre questões políticas nacionais, mas, sim, sobre o que está acontecendo no RS, os políticos gaúchos do agronegócio que estão destruindo o pais, do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra com seu arroz orgânico, que está preste a perder suas terras para uma mineradora, que vai destruir todo um ecossistema, natureza, ar, água, vidas, empregos… Bom, sobre esse assunto, quem acompanha o COletivo Catarse já sabe o que vem acontecendo.

Em resumo, foi um show sensacional, com produção da Abstratti Produtora, uma noite com o Bar Opinião bem cheio.

Um festival de “stage dive” e “moshpit”, galera subindo no palco e cantando junto em coro.

Foi um show quente, com energia do início ao fim, com músicas do novo disco e grandes clássicos, um show digno do Desd Fish.

A banda de abertura, Rezalenha, mandou muito bem e deu conta do aquecimento da noite, com canções próprias, com aprovações do público e alguns covers, que não pareciam necessários, pois a galera já possui um trabalho bem consistente.

Confira todas as fotos na galeria.

Texto e fotos por Billy Valdez.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *