#095 – Não existe capitalismo sem racismo


“Para provocar uma reação numa sociedade onde a propriedade é tão importante, talvez seja necessário quebrar umas vidraças…” – nos diz Ana Barreto, diretora da ONG AfroResistance e convidada, desde Nova Iorque, no Heavy Hour da semana. Também direto do Império, recebemos Dennis, porto-riquenho, videoativista e vigiante de policiais, que traz os sentires das ruas, bairros e periferias militarizadas pela pandemia e tumultuadas por mais um assassinato de uma pessoa negra nas mãos dos fuckin’cops! Ana nos explica de antemão que não existe capitalismo sem racismo! Eric Garner, George Floyd, Michael Brown… E tantas outras vidas exterminadas por um sistema capitalista/colonial/moderno que precisa acabar. Milhares de pessoas recuperam as ruas exigindo justiça, derrubando e incendiando símbolos da histórica opressão racial/capitalista e enfrentando a violência de Estado num “I can’t breathe” que reverberou em vários lugares do mundo, inclusive no Brasil. E, para nos revelar a configuração da sociedade brasileira e os movimentos sociais que combatem o racismo, ouvimos também o antropólogo Alexandre Peres de Lima, que aponta à falta de empatia como central na reprodução das relações de dominação. O Heavy Hour e o Coletivo Catarse não esquecerão de João Pedro, menino de 14 anos assassinado covardemente pela policia no Complexo do Salgueiro no último 18 de maio, nem de Miguel, criança de 5 anos, encerrado num elevador – pela patroa da sua mãe -, que caiu do 9º andar, nem de todos os que, anonimamente, são assassinados na mais profunda indiferença… Against capitalism, contra o racismo!!!

Setlist:
Gonzaguinha – Comportamento Geral
Dead Prez – The Hood
Fantastic – How Long
Luedji – Luna
Clara Nunes e João Nogueira – As Forças da Natureza
Melvis Santa – Inmensidad
Flicts – E o povo onde está

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: