#099 – Bombas semióticas e a guerra híbrida


Quando a realidade é tão óbvia que até parece piada, um meme pronto pra viralizar, pode ser um elemento estratégico que alguém plantou na sua frente. Decifrar os códigos, desnudar os ícones, perceber que aquilo que chamamos de real muitas vezes é fruto de uma construção elaborada, planejada, com objetivos de causar confusão, pautar a discussão e usar as ações do inimigo a seu favor. Como se fosse um campo de guerra. A batalha da comunicação está em toda parte e não se pode escapar! 2013, Segunda Guerra, estratégia militar, Tony Montana, sistemas operacionais, uma música que não deveria terminar. Teve tietagem explícita e curtição verdadeira! O Heavy Hour queima a largada e comemora, uma semana antes, o centésimo programa. Este 99 teve a especialíssima participação do Professor Wilson Ferreira, editor do Blog Cinegnose (cinegnose.blogspot.com), um cara que a gente gosta de ler e nos faz pensar nas armadilhas em que a esquerda brasileira está enredada. Músicas que nos fazem pensar e viajar misturadas à granadas semióticas de guerrilha lírica e imagética! Ah, saudações a toda gente que faz o Heavy Hour, uma janela para tentar decodificar a infoxicação de nossos dias, afinal, quem entende o que está acontecendo é porque não está bem informado. Ou seria o contrário?

Setlist simbólico:
Jello Biafra and The Guantanamo School Of Medicine – Taliban USA
Yustedes – Dia Santo
Titãs – Desordem
Crosby, Stills, Nash & Young – Almost Cut My Hair
Rage Against The Machine – Killing in the name

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: