Presos Políticos Mapuche em greve de fome e seca e as mobilizações no Wallmapu

Atualmente, são 26 presos políticos Mapuche em greve de fome há mais de 119 dias na prisão de Angol, 57 dias na prisão de Lebu e 42 dias na prisão de Temuco. Em 26/08, os Mapuche presos em Angol e alguns presos em Lebu entraram em greve seca. Dois deles foram trasladados ao hospital. Na segunda-feira, 31/08, segundo informações vindo do Wallmapu, os carcereiros desalojaram violentamente o módulo dos Presos Políticos Mapuche da prisão de Lebu. Os 12 Mapuche estariam sendo trasladados à força até o hospital. Informou-se ainda que foram golpeados, apesar do seu estado de saúde, ao mesmo tempo em que as forças armadas estão reprimindo as famílias dos presos que permanecem acampadas ao lado do penal, sendo esta a reposta do governo chileno aos pedidos dos Mapuche. O Estado se nega a atender as exigências por mais que a situação de saúde dos presos se torne mais crítica.

Em resposta, o Wallmapu está ardendo contra o latifúndio e as empresas florestais, e os Mapuche enfrentam uma cada vez maior militarização do seu território ancestral. O setor dos caminhoneiros entraram em mobilização, exigindo do governo a instauração do estado de sítio no Wallmapu, já que os caminhões que transportam madeira são um dos principais alvos das ações de sabotagens.

Neste boletim de áudio a seguir, conversamos com Gro, integrante da Coordenação 18 de Outubro pela Liberdade dos Presos Políticos (Chile).

Reportagem: Clémentine Tinkamo

Foto de destaque: Caminhão queimado no Wallmapu em 21/08/2020. Fonte: Diário el día.

Liberdade aos presos políticos Mapuche em greve de fome. Fonte: Telesur

Um comentário em “Presos Políticos Mapuche em greve de fome e seca e as mobilizações no Wallmapu

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: