#110 – Espaço Griô – Dona Maria: a Minha História II

No Heavy Hour desta semana, nós seguimos com a segunda parte da “Minha História”, projeto contemplado no edital FAC Digital e que conta a safa de Dona Maria Islair Madruga Baptista, a mãe do Sopapo. Entre memórias emotivas e histórias que estavam para serem contadas, esse programa segue no embalo do tambor com a participação de Leandro Anton, do Ponto de Cultura Quilombo do Sopapo, da colega de Coletivo Catarse, Têmis Nicolaidis, e, claro, Zé Baptista, herdeiro e luthier criador da linhagem de tambores da Família Baptista.

Setlist:
Amado Batista – Princesa
Benito de Paulo – Retalhos de Cetim
Avendano Júnior – Liberdade
Tim Maia – Me Dê Motivos
Avendano Júnior – Falta Você
Edu da Matta – Barracão

EDITAL FAC DIGITAL – Universidade Feevale/SEDAC RS
Facebook: @RS.sedac, @feevale e @feevaletechpark
Twitter: @sedac_rs e @Feevale
Instagram: @sedac_rs, @feevale e @feevaletechpark
Site: www.cultura.rs.gov.br, www.feevale.br e www.feevaletechpark.com.br

Um comentário em “#110 – Espaço Griô – Dona Maria: a Minha História II

  • 02/10/2020 em 16:42
    Permalink

    Sensacional registro da história do nascimento do Sopapo contemporâneo versão CABOBU. A linhagem nobre dos griôs e das griõs RS tem uma página importante aí eternizada nos depoimentos de Dona Maria, sendo ela parte indesmentível dessa história junto com José Batista e Mestre Baptista. Gracias pela menção aí ao final do segundo programa. Obrigado, tamujuntu y vamuarriba

    Resposta

Deixe uma resposta para RICHARD SERRARIA Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: