30/09/2020 – 10h Lançamento do relatório anual de violência contra os povos indígenas

O CIMI lança nesta quarta-feira a partir das 10h o Relatório anual (de 2019) de violência contra os povos indígenas no Brasil!

Assista o lançamento no Canal do Youtube ou no Facebook do CIMI

Segue a chamada da Assessoria de Comunicação do Cimi

O Conselho Indigenista Missionário (Cimi) realizará nesta quarta-feira (30/9), às 10h, o lançamento do seu relatório anual Violência Contra os Povos Indígenas no Brasil – dados de 2019. Para evitar aglomerações, o evento, pela primeira vez, será feito no formato online. Confira abaixo as instruções para a participação de jornalistas.

Os dados do Relatório do Cimi são sistematizados em três capítulos principais que, organizados em 19 categorias, oferecem um retrato bastante significativo das diversas formas de violências praticadas contra os povos indígenas em todo o país. Desde violações relacionadas aos seus direitos territoriais, como invasões das terras indígenas, a violações contra a pessoa, como assassinatos e ameaças, e violações por omissão do poder público, como desassistência, mortalidade na infância e suicídios, são consolidadas na publicação.

Trazendo os dados referentes a 2019, esta edição apresenta também análises sobre a realidade do Brasil indígena no primeiro ano do governo de Jair Bolsonaro na Presidência do país.

O lançamento deste ano contará com a participação de três lideranças indígenas, que apresentarão um pouco da realidade vivida por elas no cotidiano de seus territórios, que sofrem com os incêndios criminosos e o aumento da violência: Maryelza (Makaya) Apurinã, da Terra Indígena (TI) Valparaíso, localizada em Boca do Acre (AM); Wagner Krahô-Kanela, da TI Krahô-Kanela, localizada em Lagoa da Confusão (TO); e Adelicia Paulino Guajajara, da Aldeia Mucura, na Terra Indígena Arariboia (MA), irmã de Paulo Paulino Guajajara, cujo assassinato em novembro de 2019 teve ampla repercussão nacional e internacional.

Também farão parte da apresentação do Relatório o presidente do Cimi e arcebispo de Porto Velho, Dom Roque Paloschi; o presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Dom Walmor Oliveira de Azevedo; o secretário-executivo do Cimi, Antônio Eduardo Oliveira; e os organizadores da publicação, Lucia Rangel e Roberto Liebgott. A mediação será feita por Marline Dassoler, missionária do Cimi.

Participação de jornalistas durante o lançamento

Durante a live, as perguntas de jornalistas serão recebidas pelo WhatsApp e lidas pela mediadora da mesa-redonda. Através deste mesmo canal, jornalistas de todo o país podem nos enviar, até amanhã (29/9), às 18h, suas perguntas antecipadamente em vídeo – que poderá ser inserido na transmissão ao vivo, a depender da disponibilidade de tempo.

Para os jornalistas que preferirem enviar sua pergunta, antecipadamente, por vídeo – com tempo máximo de 1 minuto, recomendamos seguir este breve roteiro: 1) Garanta a qualidade do áudio e prefira gravar na horizontal; 2) Informe seu nome, veículo e cidade; 3) Apresente sua pergunta.

Aos e às jornalistas que não puderem  participar da transmissão ao vivo, a assessoria de comunicação do Cimi segue à disposição para o atendimento à imprensa, por meio dos contatos informados abaixo.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: