Clube da Esquina: um mais um é sempre mais que dois

Na década de 70, um movimento conhecido como Clube da Esquina marcou a Música Popular Brasileira. Os sons misturavam elementos do Jazz, Bossa Nova, Rock Psicodélico, Rock Progressivo, música hispânica, música erudita-popular e ritmos folclóricos dos negros do interior de Minas Gerais. Suas canções potentes têm sido cantadas por gerações, como a de Alemão Jef, do projeto Clube da Esquina Tributo RS, que participa deste podcast contando como os integrantes da banda foram impactados pela sonoridade do Clube.

Em quase duas horas de conversa e muitas canções pra se ouvir, os músicos Paulinho Betanzos e Marcelo Cougo e o jornalista Jefferson Pinheiro resgatam histórias dos discos gravados que se tornaram marcos do Clube da Esquina. Também contam passagens de Milton Nascimento e Lô Borges, os dois músicos que se uniram pra criar o álbum antológico que dá nome ao movimento.

Milton pensa que o álbum Clube da Esquina poderia ter surgido em qualquer país da América Latina e há qualquer tempo, mas foi numa esquina de Belo Horizonte, em tardes e noites sentados na calçada, que a inspiração reuniu um grupo de amigos, talentosos músicos e compositores que se encontraram na infância (caso de Milton e Wagner Tiso) ou ainda na adolescência (Lô Borges e Beto Guedes) para criar uma sonoridade que chamou a atenção do mundo musical dentro e fora do país.

No momento atual, ainda sob o peso de uma pandemia, em que muito se fala da derrocada de uma forma de viver e de se relacionar com as outras pessoas e com a natureza, celebrar as canções poéticas de amor à vida que o movimento Clube da Esquina produziu são como um respiro ou um alento.

Setlist:
Tudo que você podia ser – Milton Nascimento (Lô Borges, Márcio Borges) (álbum Clube da Esquina, 1972)
Trem de doido – Lô Borges (Lô Borges, Márcio Borges) (álbum Clube da Esquina, 1972)
Um girassol da cor do seu cabelo – Lô Borges (Lô Borges, Márcio Borges) (álbum Clube da Esquina, 1972)
Não foi nada – Lô Borges (Lô Borges) (álbum Lô Borges, 1979 – conhecido como Disco do Tênis)
O Trem de Doido – Lô Borges (Lô Borges, Ronaldo Bastos) (álbum Clube da Esquina, 1972)
Nuvem Cigana – Milton Nascimento (Lô Borges, Ronaldo Bastos) (álbum Clube da Esquina, 1972)
Fé Cega Faca Amolada – Milton e Beto Guedes (Milton Nascimento e Ronaldo Bastos) (álbum Minas, 1975)
Ponta de areia – Milton Nascimento (Milton Nascimento e Fernando Brant) (álbum Minas, 1975)
Lumiar – Beto Guedes (Beto Guedes, Ronaldo Bastos) (álbum A Página do Relâmpago Elétrico, 1977)
Casamiento de Negros (Violeta Parra) – Milton com participação do Grupo Tacuabé (álbum Clube da Esquina 2, 1978)
Clube da esquina nº2 – Lô Borges com participação de Solange Borges (Márcio Borges, Lô Borges e Milton Nascimento) (álbum A Via Láctea, 1979)
Manuel, o Audaz – Toninho Horta (Fernando Brant e Toninho Horta) (álbum Toninho Horta, 1980, com Lô Borges e Pat Metheny)
Os pássaros – Wagner Tiso (Wagner Tiso) (álbum Wagner Tiso, 1979)

Operação técnica e edição do podcast: Gustavo Türck.

Alguns audiovisuais assistidos como parte da pesquisa para o programa:

Documentário: História do Clube da Esquina – A MPB de Minas Gerais

Milton Nascimento fala sobre o álbum “Clube da Esquina” l O Som do Vinil

Os bastidores do disco “Clube da Esquina” com Milton Nascimento – Parte 2 | O Som do Vinil


Este programa foi contemplado no Edital FAC Digital, parceria da SEDAC-RS e Universidade Feevale
Facebook: @RS.sedac, @feevale e @feevaletechpark
Twitter: @sedac_rs e @Feevale
Instagram: @sedac_rs, @feevale e @feevaletechpark
www.cultura.rs.gov.br, www.feevale.br e www.feevaletechpark.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: