Estado de atenção para aquilombar!

Por Coluna Vermelha :

Quilombo Lemos está em estado de atenção para aquilombar. Precisamos expor o caso e convocar a nossa gente para se organizar!
Em meio a pandemia da COVID-19, os racistas de plantão estão obedecendo as ordens de “passar a boiada” e ao “nenhum centímetro para quilombola ou reserva indígena”. Em Porto Alegre, a desembargadora da Terceira Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) determina a reintegração de posse do Quilombo Lemos, que fica em terreno situado entre a FASE e a Panambra, na diagonal do Asilo Padre Cacique, Avenida Padre Cacique, quase em frente ao Gigante da Beira Rio. A decisão é do dia 20 de novembro, dia da consciência negra, e dá prazo de 45 dias para desocupação voluntária.
São aproximadamente 40 pessoas da família que lá vivem há décadas. Seu Jorge Lemos, patriarca do Quilombo já falecido, ajudou a construir o Beira Rio, e foi um torcedor daqueles que nunca abandonou o time, que ajudou a construir o nosso Clube. O que está por trás desse ato de barbárie é a construção das malditas torres no terreno do nosso Inter, ou seja, mais um passo LARGO para a elitização do Clube do Povo. É inaceitável querer fazer a reintegração de posse de um Quilombo, de um território daqueles e daquelas que construíram o Brasil, a custo de suas vidas. A Frente Quilombola, que entrou com um pedido de revisão dessa decisão, se posiciona terminantemente contra esse processo. Fundamentou o seu pedido apelando para o bom senso por conta de ser um período de pandemia, além de toda a história familiar naquele território, que desde sempre deveria ser o principal ponto a ser considerado. Não há por parte da Frente Quilombola NENHUMA confiança na justiça que é branca, racista, burguesa, por isso, o chamamento para essa aqueles e aquelas que estiveram junto na resistência em 2018 para irmos nos organizando e ampliando as nossas redes de resistência. Nós da Coluna Vermelha estivemos e estaremos juntos, chamando a nossa gente para somar essa luta. O Inter é o Clube do Povo! Sua história foi construída dentro dos paradigmas da inclusão e do pertencimento! Esse é um território que está ao lado do nosso estádio e  de toda área de influência das coisas que dizem respeito ao território Colorado. Por isso esse texto também é um chamamento às torcedoras e torcedores do Inter, que por coerência e respeito com a trajetória do Clube dos Negrinhos, alcunha do S.C. Internacional que vinha desde os anos 30 do Século XX e se consolida a partir da formação do inesquecível Rolo Compressor, na década de 40, trajetória que segue popular no decorrer dos anos até a consolidação do epíteto de O Clube do Povo, que hoje está no Estatuto do Inter, devem se posicionar e apoiar a luta do Quilombo Lemos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: