Se as coisas são inatingíveis… ora!

Por Grêmio Antifascista;

Deixamos o ano de 2020 certos de que não queremos um repeteco: é como se fosse a prorrogação do segundo tempo no qual estamos perdendo de goleada, valendo o campeonato mundial, só que esse jogo já dura mais de 9 meses. Arquibancadas vazias, mortes, racismo, fascismo (em sua versão repaginada do bolsonarismo no Brasil) e sem perspectiva alguma da vacina: foi assim que encerramos o ano passado.
Jamais poderíamos imaginar na história do futebol que haveria um momento no qual não seria possível acompanhar o Grêmio da arquibancada, torcer e cantar por ele. Enquanto, em 2020, os estádios mantinham-se vazios, os movimentos antifas foram às ruas, mesmo com o risco de uma provável contaminação, para protestar contra a prática do racismo, do machismo e do fascismo. Não foi fácil (nada fácil) e continua não sendo, mas é importante mantermos a postura aguerrida frente a esse cenário. Levaremos para 2021 a certeza de que nós não perdemos a esperança e continuaremos lutando.
Assim como todo início de ano é praxe almejar objetivos ou desejos, queremos compartilhar os nossos aqui:
– Que o Grêmio seja campeão novamente, tanto no masculino quanto no feminino;
– Que haja maior reconhecimento e seriedade por parte do Grêmio do nosso futebol feminino;
– Que as gurias gremistas passem a mandar seus jogos em nossa casa, a Arena do Grêmio;
– Que aumentemos nossa invencibilidade em clássicos no masculino;
– Que iniciemos a concretização do plano de vacinação para a população brasileira em que o Ministério da Saúde seja o articulador desse projeto, saindo da inércia estúpida e irracional/negacionista que se encontra a pasta;
– Que haja a abertura do processo de Impeachment contra Bolsonaro e, concomitante a isso, a familícia e seus cúmplices sejam julgados e presos;
– Que a pergunta “Por que Queiroz depositou 89 mil na conta da Michelle Bolsonaro” não seja apenas respondida, mas também leve os dois para a prisão;
– Que finalmente se descubra quem mandou matar Marielle Franco;
– Que os futuros xingamentos sejam um justo e sonoro: “e o teu pai que votou no Bolsonaro?” e não mais xingamentos racistas, machistas e lgbtqia+fóbicos;
– Que o conhecimento científico seja mais valorizado que juízos de valor e paranoias;
– Que não haja mais mortes por questões de raça e de sexo;
– Que a causa LGBTQia+ ganhe mais espaço na nossa política;
– Que o racismo possa ser debatido e combatido efetivamente no Brasil;
– Que tenhamos mais consciência de classe e um forte espírito revolucionário;
– Que nosso clubismo jamais se sobreponha à solidariedade na luta antifascista.
Estes são os nossos desejos do Movimento Grêmio Antifascista. Temos consciência de que muitos de nossos desejos possam soar ainda muito utópicos, mas acreditamos no poeta Mário Quintana em “Das Utopias” quando ele diz:
Se as coisas são inatingíveis… ora!
Não é motivo para não querê-las…
Que tristes os caminhos, se não fora
A presença distante das estrelas!

Que venha 2021!
ANTIFA!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: