O Negacionismo, suas implicações e alternativas para seu enfrentamento

14o Fórum Social Mundial Porto Alegre/RS Brasil – dia 28 de janeiro, das 18 às 21 horas (horário de Brasília) – Transmissão ao vivo nas páginas facebook da Rede Soberania/Brasil de Fato/RS, do Coletivo a Cidade Que Queremos e do FONSANPOTMA.

A alienação da sociedade, em relação a ameaças que estão destruindo a democracia e a própria noção de direitos humanos se expressa na forma de negação à disponibilidade de informações científicas, experiências populares e alternativas para reconstrução de espaços de convivência solidária. Entende-se que a mistificação/deformação de conteúdos por meio da mídia corporativa dificulta ações coletivas, facilitando o controle e os abusos, por parte de interesses antidemocráticos. O tema será trabalhado desde evidências da negação de dimensões como racismo, pandemia, ecocídios e alterações em contratos e valores sociais, enfatizando as dificuldades que carrega e propostas para seu enfrentamento. Espera-se tirar carta de recomendações e agenda de atividades comuns, entre as organizações representadas, contributivas às suas ações e ao futuro do FSM.

Abertura – 18h

. Leonardo Melgarejo – membro fundador do Coletivo A Cidade Que Queremos/Porto Alegre (CCQQ), do Forum Gaucho de Combate aos Impactos dos agrotoxicos (FGCIA), da UCCSNAL, da rede Tecla e do Movimento Ciencia Cidadã (MCC). Colaborador do Coletivo Catarse e do Clube de Cultura Porto Alegre.

Expositores (máximo dez minutos)

  • Santiago Mirande – Profesor Universidad de la República. Uruguai. Membro do Núcleo Interdisciplinario Colectivo TÁ (“Impactos de la intensificación de los sistemas agroalimentarios y sociedad: transgénicos y plaguicidas, de problemas a construcción de alternativas”) e da rede UCCSNAL;
  • Lia Giraldo da Silva Augusto – coordenadora da rede Irerê de Proteção à Ciência. Médica Sanitarista, membro do Grupo Temático de Saúde e Ambiente da Abrasco (Lançada a Rede Irerê de proteção à Ciência – ABRASCO) e do Movimento Ciencia Cidadã (MCC- movimento ciência cidadã);
  • Jose Renato Barcelos – Articulação Apis Bio, Membro fundador do CCQQ (6) Coletivo A Cidade que Queremos |Facebook), da Associação de Juristas pela Democracia (AJD Portal – Início ) e do Movimento Justiça e Direitos humanos (Movimento de Justiça e Direitos Humanos), membro do MCC, do FGCIA (Fórum Gaúcho de Combate aos Impactos dos Agrotóxicos);
  • Fernando Caballero – Naturaleza de Derechos ((8) Naturaleza de Derechos | Facebook, Argentina);
  • Ricardo Neder – Coordenador Núcleo Políticas de Ciência, Tecnologias e Sociedade – (npcts.ceam@unb.br) CEAM/Reitoria UNB, membro da Rede Irerê de Proteção à Ciência e do MCC
  • Elizabeth Bravo – presidente de Accion Ecologica (Equador) (8) Acción Ecológica | Facebook, membro fundador Naturaleza de Derechos (eduador) e da Rede Tecla (Red de Evaluación Social de Tecnologias em América Laina);
  • Murilo Mendonça Oliveira de Souza – Prof UEG. Vice-presidente regional Centro Oeste da Associação Brasileira de Agroecologia, coordenador do GWATA (GWATÁ | Núcleo de Agroecologia e Educação do Campo), membro da UCCSNAL e do MCC;
  • Fernanda Savicki – Vice-presidente da Associação Brasileira de Agroecologia (ABA Agroecologia – Site oficial da Associação Brasileira de Agroecologia, contendo notícias, biblioteca, informações sobre congressos e filiação. );
  • Iliete Citadin – Coordenação Movimento Não ao Lixão de Viamão ((6) Não ao Lixão – Passo da Areia, Itapuã/Cantagalo – Viamão RS | Facebook);
  • Pablo Galeano Gimenez – Professor Universidad de la República. Uruguai. Membro de REDES-AT, do Núcleo Interdisciplinario Colectivo TÁ (Colectivo TÁ | Espacio Interdisciplinario) e da rede UCSNAL;
  • Kota Mulangi (Regina Nogueira, médica) Coordenadora nacional do FONSANPOTMA – Fórum Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional dos Povos Tradicionais de Matriz Africana;
  • Katia Marko – editora do Jornal Brasil de Fato/RS  e Rede Soberania (Rede Soberania), Organizadora do programa Arte, Ciência é Ética num Brasil de Fato (Rede
    Soberania/Brasil de Fato RS);

Serão recebidas contribuições adicionais dos ouvintes, pelo chat, que dentro do possível serão apresentadas pela coordenação durante a atividade. Independente disso, todas as contribuições serão consideradas para fins de elaboração de documento final a ser encaminhado ao FSM e em publicação a ser disponibilizada em fins de março
de 2021.

Fechamento: CCQQ e JBDF (Melgarejo e Katia) – 21 horas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: