29M – Dia de manifestações exigindo a saída de Jair Bolsonaro em todo o país

O sábado amanheceu ensolarado na capital gaúcha, sendo um estímulo a mais para que os cidadãos saíssem às ruas, a exemplo do que  estava acontecendo em quase 200 cidades pelo Brasil afora, para se manifestar. Todos em um brado comum exigindo a saída do presidente da república, Jair Bolsonaro, e sua base de sustentação política, pelas óbvios motivos apresentados desde o início de seu mandato: reacionarismo, envolvimento pesado com milícias, golpismo, negacionismo diante da pandemia global de Covid-19 – que só no Brasil, já vitimou quase 500 mil pessoas – e desprezo total pela busca de ações efetivas diante da maior crise sanitária dos últimos cem anos, além de muitos outras irregularidades e crimes.

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

O mesmo protesto, organizado por comunidades de brasileiros e simpatizantes, foi realizado em cidades como Barcelona, na Espanha, Lisboa , em Portugal, Oxford, na Inglaterra, Berlim, Alemanha, Zurich, na Suiça, Nova Iorque, nos EUA, além de outras cidade pelo Mundo.

Em Porto Alegre a manifestação iniciou às 15h, em frente a Prefeitura Municipal, mas a movimentação já era visível desde o início da manhã, de modo que, no horário combinado, já havia uma multidão ocupando inteiramente o Paço Municipal, a Praça Montevideo, o Largo Glênio Peres, a Av, Borges de Medeiros e ruas adjacentes. De todas as partes chegavam mais e mais pessoas para se integrar ao protesto.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Integrantes de movimentos sociais, de grupos engajados na luta por direitos e igualdade, além de sindicatos, estudantes, partidos políticos de esquerda e artistas, compareceram em grande número. Carros de som, tambores, brados de protesto, bandeiras, muitas faixas e uma multidão decidida exigindo vacinas, respeito pela vida, dignidade e justiça iniciou a caminhada pela Avenida Borges de Medeiros entrou na Rua Riachuelo e seguiu em marcha até a Usina do Gasômetro.

Brados de “Fora Bolsonaro”, “Bolsonaro Genocida”, “Vacina Já”, ecoaram pelas ruas do Centro Histórico. Um número considerável de moradores do Centro foi para as janelas e sacadas de seus prédios para aplaudir e apoiar a manifestação. Já na Usina do Gasômetro, os manifestantes fizeram uma pausa e logo em seguida retomaram a caminhada rumo ao Largo Zumbi dos Palmares, na Cidade Baixa para encerrar a manifestação.

Este slideshow necessita de JavaScript.

O encerramento do ato ainda foi marcado pela imolação simbólica de Jair Bolsonaro, quando se ateou fogo em um boneco que o representava! A Brigada Militar e a Guarda Municipal, embora presentes, se mantiveram a distância.

Via Repórter Popular e Campanha de Luta por Vida Digna.

 

Como em outras capitais brasileiras, a manifestação foi pacífica, de modo que quase não houve relatos de confrontação com a polícia, à exceção de Recife, cuja a violenta ação da polícia de choque redundou no ferimento grave de um cidadão, que teve um de seus olhos atingidos por uma bala de borracha, desferida por policiais do Batalhão de Choque.

A manifestação teve ampla cobertura em todo o País, através de redes colaborativas de mídia independente. Acesse também as coberturas realizadas pelos parceiros no Rio de Janeiro, Curitiba, Belém, São Paulo e Porto Alegre. Acesse CWB Resiste (Instagram e Facebook), Mangueio (Instagram), pp documentário (Instagram), Mídia Independente Coletiva (Face, Instagram), Deriva jornalismo (site, Face e Instagram), Repórter Popular (site, Face e Instagram), Bombozila (Instagram e Face), Witness Brasil (Instagram).

Cobertura Colaborativa
Rio de Janeiro | São Paulo | Curitiba | Porto Alegre | Belém
#29M
#CoberturaNacional

Texto: Paulinho Bettanzos
Fotos: Paulinho Bettanzos e Marcelo Cougo
Edição: Bruno Pedrotti.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: