500 mil mortes

Por Grêmio Antifascista:

Quando o governo é mais letal que o vírus, a única opção para sobrevivermos que temos é tomar as ruas para derrubá-lo.

Nesta semana ultrapassamos a triste marca de 500 mil mortes notificadas no país e ainda estamos no início da terceira onda de contágio. O cenário é ainda mais assustador se considerarmos a situação generalizada de subnotificações dos casos (mortes não corretamente notificadas como COVID-19), ou seja, mortes que foram subnotificadas por falta de testes e diagnósticos. Segundo projeções, estes casos não notificados podem chegar em até 30% do número total de vítimas registrados. A Fiocruz divulgou um estudo mostrando que houve mortes por Síndrome Respiratória Aguda Grave acima da média nos estados brasileiros durante a pandemia, sintoma que aponta para subnotificação. O aumento deste tipo de registro em óbitos ocorreu em Manaus, 112%, seguido por Fortaleza, 72%, Rio de Janeiro, 42% e São Paulo, 34%.

A CPI da COVID atualmente em andamento apenas evidencia a nefasta política de Bolsonaro que dentre inúmeros crimes e estratégias de genocídio da população brasileira, negou resposta a mais de 80 e-mails do laboratório da Pfizer oferecendo vacinas, preferindo o assassinato induzido pelo “kit de tratamento precoce” – sem contar os indícios de ter deixado estrategicamente o estado de Amazonas colapsar por falta de oxigênio como caso teste de “imunidade de rebanho” causando grave crise humanitária na cidade de Manaus.

Os movimentos de “FORA BOLSONARO!” em diversas cidades do Brasil e do exterior (como em diversas capitais tais quais Zurique na Suíça; Londres, Inglaterra; Paris na França; Lisboa em Portugal; Dublin na Irlanda; Berlim na Alemanha e Washington nos Estados Unidos, dentre outas) estão ganhando força. No último dia 19 de Junho tivemos mais de 400 cidades brasileiras envolvidas gritando “FORA, BOLSONARO!”. Este grito resume as principais demandas da nossa sociedade que pede desesperadamente por vacinação, auxílio emergencial digno e marca posição contra o corte na Educação e nas universidades públicas e o projeto neoliberal capitaneado por Paulo Guedes de desmonte do serviço público com as reformas administrativa e da previdência. Mais que isso, o movimento “FORA BOLSONARO!” clama pelo impeachment do presidente genocida Jair Bolsonaro.

Os manifestantes estão provando que a retomada das ruas pelo povo é um movimento irreversível e que ocuparemos todos os espaços possíveis na luta contra o autoritarismo e o neofascismo. Nós, do movimento Grêmio Antifascista (juntamente com nossos amigos e amigas da Tribuna 77 e outros torcedores gremistas), também estamos na luta, assim como milhares de torcedores no país, para derrubarmos as políticas genocidas que já mataram mais de meio milhão de brasileiros e brasileiras. As ruas já disseram duas vezes e continuarão dizendo: não nos pararão até derrubarmos este governo genocida e fascista de Bolsonaro.

FORA BOLSONARO! VACINA NO BRAÇO E COMIDA NO PRATO JÁ!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: