Não ao Marco Temporal – Ato em Porto Alegre (30-06-2021)

Publicado originalmente no Deriva Jornalismo

Quinta-feira, 30 de junho de 2021, dia histórico de mobilização dos povos indígenas em todo o Brasil contra as medidas colonialistas do Marco Temporal e do Projeto de Lei 490 que vai à votação no plenário da Câmara em breve. Em Porto Alegre, centenas de pessoas dos povos Charrua, Kaingang, Guarani e Xokleng, além de quilombolas e apoiadores da causa indígena, fizeram um ato memorável pelas ruas do centro da cidade. Emocionante a energia do canto Kaingang ecoando entre os prédios de cimento. Querem apagar, mas eis que surge, por baixo do asfalto inóspito, na vibração da terra, a ancestralidade e a presença no todo.

O Marco Temporal, em votação no Supremo Tribunal Federal, é uma tese jurídica colonialista que considera que terras só podem ser demarcadas se os indígenas estivessem no território antes de 1988. Todas as retomadas e as terras demarcadas a partir disso serão revistas. Ou seja, indígenas poderão ser expulsos pela força do Estado das suas terras. Desconsidera ainda que os indígenas só não estavam nas suas terras porque foram expulsos por jagunços, milicianos, capangas pagos pelos ancestrais desses mesmos que hoje votam as leis.

É o pior ataque já visto aos povos. Na mesma quinta, a votação foi adiada para o começo de agosto. Portanto a mobilização segue.

Sinta o clima do ato desta quinta neste vídeo produzido em parceria pelo Deriva Jornalismo e o Coletivo Catarse para o Conselho Indigenista Missionário (CIMI) e o COMIN.

 

Convido também a acessar o álbum completo de fotos da manifestação. São mais de 100 registros desse ato histórico.

Seguimos na luta. Além da solidariedade aos povos, é luta pela preservação da terra, pela existência humana e dos outros seres.

2 de julho de 2021

Porto Alegre

Alass Derivas | @derivajornalismo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: