Após assassinatos e expulsões na Terra Indígena de Serrinha, Instituto Kaingang faz abaixo-assinado para pressionar Funai e outros órgãos

Para clamar por justiça e resposta aos atos de violência do dia 16 de outubro, o INKA lança manifesto e inicia pressão para cima das autoridades.

https://www.change.org/apoie-por-justica-na-aldeia-serrinha

Do site do INKA:
Assine a Petição do INKA pela Terra Indígena Serrinha-RS

A Organização Indígena Instituto Kaingáng – INKA, vem divulgar a criação de uma petição nesta segunda, 25, para pressionar a tomada de providências cabíveis por Justiça e Resposta na Terra Indígena Serrinha (RS). Junte-se ao INKA e assine para que as violações contra o povo Kaingáng cessem de uma vez por todas!

Meses de alertas sobre o agravamento do quadro na Terra Indígena Serrinha e das denúncias realizadas aos órgãos responsáveis como a Funai, Ministério Público Federal e Justiça Federal, da cobertura pela imprensa sobre os problemas no local, obrigaram por fim, o Governo Brasileiro, que se mantinha tolerante até então, a empregar o uso da Força Nacional em Serrinha.

O INKA, presente na Serrinha há quase 20 anos, trabalhando com os temas de Educação e Cultura Indígena, organização gerida exclusivamente por mulheres Kaingáng, denuncia, através de sua petição, o domínio de lideranças culturalmente corrompidas na Terra Indígena Serrinha, financiadas pelo poderio extraído da concentração de terras indígenas, a custo da fome, da violência, da perseguição, mortes e pela prática da expulsão de famílias indígenas contrárias aos seus atos, para com isso, seguir impondo seus comandos pelo silenciamento e represálias no local.

Pedimos a apuração e devida punição dos responsáveis pelos acontecimentos graves ocorridos, pelo retorno das famílias expulsas de suas casas, pela devida atenção ao Conselho de Anciãos Indígenas de Serrinha e pela divisão justa e por igual das terras, levando ao desmonte do esquema ganancioso da concentração de terras indígenas que tem sido o principal financiador dos problemas.

Junte-se ao INKA nessa hora em que a Força Nacional se encontra em Serrinha por 30 dias, fazendo chegar esta petição e as assinaturas às autoridades envolvidas como a Funai, Procuradoria da República, Ministério da Justiça, Secretaria Nacional de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa do RS, Ordem dos Advogados do Brasil – OAB, Conselho Federal da OAB e outros.

A petição completa para assinatura e o vídeo do clamor de indígenas da Terra Indígena Serrinha por Justiça e Resposta pode ser acessado AQUI.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: