Todos os posts de Gustavo Türck

É a vez da Lagarta Dolores


O Sonho de Dolores

Muito rejeitada pelos outros animais e flores que circulam pelo quintal da casa da vovó, a lagarta Dolores vive o seu processo de transformação e se transforma numa linda borboleta, afetando para sempre a vida de todos!
É uma história mágica pensada e realizada por crianças todos os sábados em São Leopoldo/RS…Não é mais um sonho, está sendo realidade.

Conheça mais o trabalho que a Cia de Teatro Francisco de Assis desenvolve…

A Catarse se juntou a esse projeto para transformar a história de Dolores em um filme – independente. Para quem tiver o interesse de ajudar, o Vlademir, responsável pelo projeto, está colocando seus livros à venda e revertendo os ganhos para o cenário, figurinos e outros gastos de produção do filme!

O ATO de FAZER TEATRO & O ANJO da IMAGINAÇÃO;
AMBOS, EDITADOS PELA EDITORA PAULINAS/SP.

VALOR: R$15,00 CADA
(QUINZE REAIS – JÁ INCLUÍDO OS CUSTOS DO CORREIO).

PARA ADQUIRIR OS LIVROS: vladycarmo@hotmail.com OU PELO FONE:51-3590-6918 / 8134-0605.

“Neste projeto, crianças e adolescentes de diversas classes sociais convivem todos os sábados através das oficinas de teatro e cinema, em parceria com a Catarse -Coletivo de Comunicação. A partir desses encontros está sendo elaborado e experimentado a execução de um filme – O Sonho de Dolores – demonstrando, assim, que é possível conviver e viver em uma sociedade que mesmo com as suas desigualdades sociais tornam-se semelhantes pelo ato de fazer teatro e cinema” – Vlademir do Carmo

Repercussão da reportagem sobre a PEJ no jornal do GAPA/RS

Opiniã do Blog Ponto de Vista publicada hoje sobre reportagem em jornal produzido pela Catarse. Segue abaixo:

Esta é a última edição do jornal “Mais Expressão de Vida”, do Grupo de Apoio à Prevenção da AIDS/RS (GAPA). O suplemento especial “Caos da saúde nos presídios” está desagradando as autoridades do sistema. Sobre a situação dos portadores do HIV: “Os doentes de AIDS, as pessoas que já estão com a saúde bastante debilitada por causa do avanço da doença, o tratamento que a Casa (Penitenicária Estadual do Jacuí) oferece é simplesmente largar eles dentro da galeria com o coquetel que governo oferece. Porque realmente o pessoal da saúde da Casa não está dando atendimento algum. Os doentes de Aids estão dependendo única e exclusivamente da boa vontade de seus colegas de cárcere, que, muitas vezes, nem têm instrução necessária pra dar o atendimento correto que eles deveriam receber, a alimentação necessária. Muitas pessoas também não têm auxílio de sua família, e fica difícil às vezes, precisa de alguém até mesmo para ajudar a tomar um banho, preparar um alimento. NÓS TEMOS CASOS DE PESSOAS AQUI QUE PERDERAM A SUA VIDA NOS PORTÕES DAS GALERIAS POR FALTA DE ATENDIMENTO, POR NECLIGÊNCIA DO TRABALHO DE SAÚDE NAS PENITENCIÁRIAS.” (depoimento de um preso). O suplemento não foi feito a partir de um release – material fornecido pelas assessorias de relações públicas – mas a partir de um trabalho de reportagem.

“Susepe quer testar pulseiras” é um release publicado – evidentemente – por ZMentirona, edição de 13.07.2007, pág.59. Trata-se de uma medida para reduzir custos com o encarceramento dos pobres. Sobre a precária situação de saúde dos presos continuaremos sem saber nada pelos veículos da mídia corporativa.

Registro da Rede Mística Feminina

PROTAGONISTAS DO SEU TEMPO,
MULHERES DAS CLASSES OPRIMIDAS
SE ORGANIZAM EM MOVIMENTOS
POPULARES
E LUTAM PELA DIGNIDADE DA VIDA.

SÃO ESPAÇOS DE RESISTÊNCIA E ESTÍMULO.
DE CELEBRAÇÃO DA FÉ
E AÇÃO TRANSFORMADORA.

MÍSTICA COMO ALIMENTO DA ESPERANÇA
EM UM MUNDO DIFERENTE,
DE UMA NOVA MULHER.

***

20 ANOS DE ENCONTROS DA REDE MÍSTICA
FEMININA DO MEIO POPULAR

ASSENTAMENTO FILHOS DE SEPÉ, MST
MUNICÍPIO DE VIAMÃO, JANEIRO DE 2007

***

Esse o texto de abertura do vídeo-documento (35 min.) realizado pela Catarse para as mulheres da Rede Mística. Um trabalho de reportagem descritiva, que acompanha cenas do encontro, num registro de sua memória.

A equipe de reportagem foi só de homens (André de Oliveira, Jefferson Pinheiro e Rafael Corrêa).

Com um orgulho enorme, podemos dizer que nos aproximamos da alegria de mulheres guerreiras, vibrantes, religiosas (no sentido da palavra de religação mística).

Nos encontramos com o futuro de dignidade. Mas há muita luta a fazer ainda. Elas fazem parte desse caminho. E nós da Catarse também somos frutos da Mística. Agradecemos por isso.

EXIBIÇÃO
No último sábado, 30 de junho, houve exibição do vídeo-documento na Terreira da Bia, na Ilha da Pintanda. Uma TV 20 polegadas e um aparelho de DVD substituíram as imagens religiosas de sempre, elas ficaram todas guardadas ao fundo da sala. E as pessoas ali presentes se viram protagonistas do vídeo delas.


Filmamos todo ritual de umbanda que ocorreu no Encontro e parte dele está presente no vídeo-documento. Recebemos os agradecimentos e agradecemos tudo que recebemos por poder trabalhar e dividir nosso trabalho com essa comunidade.

Logo em seguida, acompanhamos a imagem de Nossa Senhora sendo levada da Terreira, onde estava desde o encontro de janeiro, para o oratório da Ilha Grande. Nós chegamos de carro, mas a imagem de barco, pelas águas. Ali foi realizado cerimônia religiosa, num final de tarde frio e alaranjado da beira do rio.

FILME
Haverá ainda a realização de outro trabalho a partir desse registro. A Catarse está na etapa de montagem de um filme documentário que parte da mobilização da Rede Mística para falar do espírito do feminino nas lutas sociais, da sua religiosidade. Provavelmente um longa-metragem.