Todos os posts de Gustavo Türck

É a vez da Lagarta Dolores


O Sonho de Dolores

Muito rejeitada pelos outros animais e flores que circulam pelo quintal da casa da vovó, a lagarta Dolores vive o seu processo de transformação e se transforma numa linda borboleta, afetando para sempre a vida de todos!
É uma história mágica pensada e realizada por crianças todos os sábados em São Leopoldo/RS…Não é mais um sonho, está sendo realidade.

Conheça mais o trabalho que a Cia de Teatro Francisco de Assis desenvolve…

A Catarse se juntou a esse projeto para transformar a história de Dolores em um filme – independente. Para quem tiver o interesse de ajudar, o Vlademir, responsável pelo projeto, está colocando seus livros à venda e revertendo os ganhos para o cenário, figurinos e outros gastos de produção do filme!

O ATO de FAZER TEATRO & O ANJO da IMAGINAÇÃO;
AMBOS, EDITADOS PELA EDITORA PAULINAS/SP.

VALOR: R$15,00 CADA
(QUINZE REAIS – JÁ INCLUÍDO OS CUSTOS DO CORREIO).

PARA ADQUIRIR OS LIVROS: vladycarmo@hotmail.com OU PELO FONE:51-3590-6918 / 8134-0605.

“Neste projeto, crianças e adolescentes de diversas classes sociais convivem todos os sábados através das oficinas de teatro e cinema, em parceria com a Catarse -Coletivo de Comunicação. A partir desses encontros está sendo elaborado e experimentado a execução de um filme – O Sonho de Dolores – demonstrando, assim, que é possível conviver e viver em uma sociedade que mesmo com as suas desigualdades sociais tornam-se semelhantes pelo ato de fazer teatro e cinema” – Vlademir do Carmo

Repercussão da reportagem sobre a PEJ no jornal do GAPA/RS

Opiniã do Blog Ponto de Vista publicada hoje sobre reportagem em jornal produzido pela Catarse. Segue abaixo:

Esta é a última edição do jornal “Mais Expressão de Vida”, do Grupo de Apoio à Prevenção da AIDS/RS (GAPA). O suplemento especial “Caos da saúde nos presídios” está desagradando as autoridades do sistema. Sobre a situação dos portadores do HIV: “Os doentes de AIDS, as pessoas que já estão com a saúde bastante debilitada por causa do avanço da doença, o tratamento que a Casa (Penitenicária Estadual do Jacuí) oferece é simplesmente largar eles dentro da galeria com o coquetel que governo oferece. Porque realmente o pessoal da saúde da Casa não está dando atendimento algum. Os doentes de Aids estão dependendo única e exclusivamente da boa vontade de seus colegas de cárcere, que, muitas vezes, nem têm instrução necessária pra dar o atendimento correto que eles deveriam receber, a alimentação necessária. Muitas pessoas também não têm auxílio de sua família, e fica difícil às vezes, precisa de alguém até mesmo para ajudar a tomar um banho, preparar um alimento. NÓS TEMOS CASOS DE PESSOAS AQUI QUE PERDERAM A SUA VIDA NOS PORTÕES DAS GALERIAS POR FALTA DE ATENDIMENTO, POR NECLIGÊNCIA DO TRABALHO DE SAÚDE NAS PENITENCIÁRIAS.” (depoimento de um preso). O suplemento não foi feito a partir de um release – material fornecido pelas assessorias de relações públicas – mas a partir de um trabalho de reportagem.

“Susepe quer testar pulseiras” é um release publicado – evidentemente – por ZMentirona, edição de 13.07.2007, pág.59. Trata-se de uma medida para reduzir custos com o encarceramento dos pobres. Sobre a precária situação de saúde dos presos continuaremos sem saber nada pelos veículos da mídia corporativa.