LAB 10/20

O Coletivo Catarse sempre teve em sua essência o compartilhamento desde o seu nascimento há 16 anos. Não à toa, este nome para denominar uma cooperativa de trabalho foi escolhido. Para além de seus integrantes formais – dos quais já passaram mais de 20 pessoas –, se caracteriza pelo caráter agregador, disponibilizando sua estrutura para execução de projetos dos mais variados – o que é facilmente perceptível ao se navegar pelas playlists do canal do Coletivo Catarse no Youtube.

São relações que se constituíram das mais diversas formas, permitindo que equipamentos e estruturas que dificilmente estariam à disposição de todas essas pessoas passassem, agora, a fazer parte do seu vislumbre de trabalho – fosse uma câmera fotográfica profissional, um gravador digital para captar melhor um áudio, um computador com capacidade de edição de som e vídeo ou apenas uma ajuda na sede para configurar os próprios equipamentos, por exemplo.

O Coletivo já auxiliou – e segue auxiliando – uma gama de profissionais das mais diversas áreas , produzindo não só material audiovisual, mas também gráfico, virtual e impresso de qualidade profissional. Além da estrutura física, seus cooperados desenvolvem o compartilhamento de conhecimento técnico, auxiliando e ensinando os profissionais ou amadores a utilizar os equipamentos e cuidá-los da melhor maneira.

O projeto aprovado através do Edital nº 10/20 – Lei Aldir Blanc – vem fortalecer essas iniciativas e garante que o trabalho do Coletivo Catarse/Ponto de Cultura e Saúde Ventre Livre siga acontecendo de forma compartilhada no que diz respeito a sua estrutura física e do conhecimento adquirido ao longo de sua trajetória.

Acompanhe nesta seção as ações do projeto e todo o processo de reestruturação ao longo destes 4 primeiros meses do ano de 2021:

 

#leialdirblanc
#leideemergênciacultural
#novasfaçanhasnacultura

Blog do projeto

Consertos necessários

Quando trabalha-se com tecnologia uma coisa é certa: temos que encarar a depreciação. Além da defasagem dos equipamentos, o uso contínuo, mesmo tendo todo o cuidado do mundo, faz com que os equipamentos necessitem de reparos ou até mesmo uma manutenção mais pegada. Hoje foi o dia de trazer de

Leia mais »

Pesquisa

Comprar um equipamento sempre exige muita pesquisa, principalmente quando trabalhamos com dinheiro público. As vezes uma câmera dos sonhos não se aplica às necessidades do trabalho que é realizado e muitas vezes a necessidade que se tem não cabe no bolso. De qualquer forma não tem como fugir de algumas

Leia mais »

Finalizando a estrutura

Hoje foi a função derradeira em relação à estrutura física. Quadros do Montiel reformados e acondicionados. O sistema operacional, em software Linux, Mint foi instalado em dois computadores. Depois de 1 ano sem trânsito na sede do coletivo, as salas ficaram com aparência de abandonada, depois deste mês de trabalho

Leia mais »

Lugares definidos

Hoje, depois de uma semana de calor infernal, a chuva veio, em pleno Dia de Iemanjá. Foi o momento de dar aquela arrematada nos espaços, o próximo passo é partir para os orçamentos e compras de equipamentos. Em breve estaremos compartilhando algumas dicas de como pesquisar por equipamentos específicos como

Leia mais »

Estúdio

Hoje foi a vez da reorganização do estúdio Monstro. Este espaço foi batizado em homenagem ao mimoso gato preto que habitava a comuna e que, por conta da situação pandêmica, foi morar na casa de dois cooperados.

Leia mais »

Seguindo no acervo e reparos técnicos

Dando continuidade à reestruturação da sede, o dia foi de organizar a biblioteca, recentemente catalogada pela antropóloga Clementine Tinkamo, além de acomodar o acervo de trabalhos do coletivo composto por DVDs de filmes longas, médias e curtas-metragens, revistas, livros, cartilhas, entre outros.

Leia mais »