Arquivo da tag: Clementine

Da Retomada da Ponta do Arado Velho à Tekoa Ygere: Força e Resistência Mbya Guarani

Enfrentando uma violência cotidiana, os Mbya Guarani que retomaram sua terra ancestral na Ponta do Arado seguem resistindo aos ataques dos empresários da fazenda do Arado, todos respaldados pelas instituições estatais!

No mês passado, o processo que até então criminalizava os Guarani e todas as pessoas que os visitavam foi mandado para a justiça federal fazendo então cair as liminares que judicialmente isolavam os Guarani de qualquer forma de solidariedade.

Mesmo assim, é com muita alegria que, desde a retomada, em junho do ano passado, que os Guarani reabitam a ponta do Arado, devolvendo aos seres da floresta, à agua, às arvores, aos bugios, a alegria. Além disso, várias individualidades e grupos de pessoas solidárias com a retomada se organizaram para fortalecer a comunidade e tornar visível sua luta. Vigílias e visitas na comunidade foram organizadas, vídeos, blogs, textos e programas de rádio realizados, e, no dia 24 março, aconteceu uma jornada solidária na praia de Copacabana que acolheu mais de 150 pessoas.

No dia 15 de junho, festejou-se um ano da retomada, hoje, a comunidade já formou uma Tekoa que chamou de Yjere, em referência à importância da água que rodeia a ponta do Arado. Nesta celebração, nos encontramos novamente na praia de Copacabana ao som da Digna Rabia. As falas de Timóteo, o cacique da Tekoa, nos transportaram a um ano atrás, quando a comunidade Mbya Guarani decidiu retomar essa terra, e é com firmeza que, diante da repressão, eles resistiram e seguem resistindo ao projeto megalomaníaco que busca transformar a Ponta de Arado em um condomínio de luxo.

Dia 19 de junho, quarta-feira, às 9h45, acontecerá uma audiência pública na Sala de Convergência Adão Pretto na Assembleia legislativa. A presença de todxs em solidariedade aos Guarani é muito importante!

Viva a Tekoa Yjere
Aguyjevete!

*Fotos retiradas da página Facebook do Retomada Mbya Guarani das Terras do Arado Velho
**Texto: Tinkamó

Heavy Hour 43 – 11.06.19 – Vaza daqui, mina Guaíba!

Enquanto o esgoto da republiqueta de Curitiba vaza do ralo dos banheiros de US Moro e Deltan Powerpoint, escancarando a falcatrua de um juízo que é herói somente em histórias em quadrinhos, tem gente preocupada de verdade com o país. E, mais uma vez, quem faz a frente é o MST – e a população mobilizada! Neste programa, mais desdobramentos dos projetos que pretendem levar literalmente o Rio Grande do Sul para o buraco. O assentado Marcelo Paiacan, representante de um movimento que sustenta a agricultura orgânica em várias frentes – são mais de 400 hectares de arroz ecológico cultivados todos os anos! -, traz sua perspectiva sobre como está a ameaça sobre sua morada em Eldorado do Sul. Para contribuir, Luna Carvalho, cientista social e doutoranda em desenvolvimento rural, apresentando outros aspectos mineradores aqui no estado, que – pasmem! – servem para atender a indústria do veneno para o monocultivo de…soja!

Participações mais que especiais dos cooperados Jefferson Pinheiro, que foi muito além da sugestão do Beto Guedes para o setlist deste Heavy Hour, falando de um recente trabalho, o Dossiê Viventes, sobre a desgraça dos projetos de mineração no Rio Camaquã, e do repórter Bruno Pedrotti, no estúdio e trazendo participação da assentada Adeles Bordin, direto da Assembleia Popular realizada para tratar das questões dessa mina que a Copelmi quer implementar na região metropolitana de Porto Alegre abaixo de muita mentira e argumentos falaciosos – de acordo com nossos convidados e com a verdade da vida no Planeta Terra, viu, Cristiano Weber? A gente tá sabendo…

Setlist:
Eu Acuso! – Lona Preta
Pedro Munhoz – Caminhador
Atahualpa Yupanqui – Chacarera de las piedras
Motorcavera – Idiocracia
Dead Fish – SUVs Stupids Utility Vehicle
Beto Guedes – O Sal da Terra

Heavy Hour 42 – 04.06.19 – Minera teu C…

Com este desgoverno que desenterra tudo que tem de ruim em projetos de depredação socioambiental, mais uma nos ronda aqui no Rio Grande velho de guerra: mineração às margens do lago Guaíba. Com projeto da década de 1970, mais uma vez lapidam-se os velhos motes da criação de empregos, riqueza para municípios, entre outros engodos, para se passar a draga no solo gaúcho e poluir nossas águas e atmosfera. Qual o custo real disso? Michelle Ramos, do MaM (Movimento pela Soberania Popular na Mineração), e Eduardo Raguse, engenheiro ambiental da AMA Guaíba (Associação Amigos do Meio Ambiente de Guaíba), trazem muitos exemplos e apostam na mobilização para que isso não vingue. Marcelo Silva, professor e poeta do Morro Santana, também dá a sua palha e nos brinda com belas palavras em um espaço de poesia que parece que permanecerá por um tempo no Heavy Hour!

Do Coletivo Catarse, Clementine, Bruno Pedrotti, Marcelo Cougo e Gustavo Türck lotaram o estúdio e os blocos de fala deste programa. Ah! Teve também Billy Valdez…

Setlist:
Priscila Magella – Choro de Lama
Groundation – Fossil Fuels
Bad Brains – Banned in DC
Hempadura – Queimem!
Destruction – Born to Perish
Milton Nascimento – Para Lennon e McCartney
Calle 13 – Latinoamerica

Heavy Hour 41 – 28.05.19 – Alvo dos patifes

E os patos viraram patifes. Depois de vestirem suas camisetas da CBF e conseguirem dar suporte a um golpe engendrado nos manuais da CIA, eles voltam às ruas e apontam suas armas diretamente ao seu mais novo inimigo: a educação! Sim, muitas – nem tantas – pessoas se fantasiaram novamente e trataram de contra-marchar apoiando seu presidente, a ignorância e o ideologismo racista e fascista – tudo abertamente. Neste programa, desvelamos a marcha dos patifes pela história de 3 antropólogxs: Cleyton Rocha, do Macapá, capital do Amapá, Lucy Cavalcante, de Caucaia, no Ceará, e Bruno Domingues, de Barcarena, interior do Pará. Todos negrxs e mestrandos da UFRGS – bolsistas ou não, de cotas ou não, são aqueles com a mira do ódio em suas paletas. Na condução do programa, o power trio do Coletivo Catarse recebe o reforço – permanente? – de Clementine Marechal, também antropóloga e de espírito de luta ativo.

Setlist:
Eu Acuso! – Marcha dos Patifes
Maria Bethânia – Carcará
Vitor Jara – Movil Oil Special
O Rappa – Minha Alma
Belém Pará Brasil – Mosaico de Ravena
Slave in Hell – W.O.E.
Possessed – Graven
Rockin 1000 – Smells Like Teen Spirity