Agronegócio investe pesado no carnaval do Rio

Danone e Basf entre as empresas que estão patrocinando com exclusividade duas escolas de samba.

Do site Malagueta – palavras boas de se comer.

Alimentação pede passagem

A alimentação desfilará na Sapucaí como tema de samba enredo de duas escolas do Grupo Especial. No Carnaval 2013, a Porto da Pedra entra na avenida com o patrocínio da Danone e falará sobre o leite. “Da seiva materna ao equilíbrio da vida” é o tema escolhido pela agremiação de São Gonçalo. Esta é a primeira vez que um produto é citado associado diretamente na composição: “iogurte é leite, é saúde e muito mais”. Para garantir a imersão da Porto da Pedra no universo Danone, a empresa levou o carnavalesco da escola e o diretor de carnaval para conhecerem a história da marca, em Barcelona – cidade em que a empresa foi criada e sede, entre outros espaços, do Museu Danone.

Em entrevista à revista Meio e Mensagem, o diretor de marketing da Danone no Brasil, Ricardo Vasquez, explica que este modelo de patrocínio atende ao objetivo de levar “saúde e nutrição” ao maior número de pessoas. Por trás desta proposta está a meta de aumentar o consumo de iogurte no país. Em 2012, este mercado faturou R$ 5 bilhões. Mas há potencial para expansão. O Brasileiro consome, em média, 6,4 kg de iogurte por ano. Os argentinos ingerem o dobro e os holandeses chegam a 45 kg por ano. A estimativa é que os brasileiros possam consumir até seis vezes mais que a quantidade atual.

A letra traça a história do leite até a fermentação, processo que permitiu a fabricação de derivados, como o iogurte. Começa com os mamíferos, retrata os simbolismos em torno da bebida, como na mitologia greco-romana, que representa a ligação entre o divino e o humano; o mortal e o eterno. E finaliza com uma celebração à bebida:

Na história, a humanidade vive a cultuar
A dádiva que fez o animal sagrado
Fermentou fartura e saber
Fonte rica de prazer

No calor dessa receita, deixa provar
A combinação perfeita ao paladar

A essência é derivada da mistura dos sabores
É no mel que se adoça a magia dessas cores

A Vila Isabel presta homenagem à agricultura familiar com o tema “A Vila canta o Brasil, celeiro do mundo – Água no feijão que chegou mais um”. A letra recorre ao imaginário de um camponês pitoresco:

Ô muié , o cumpadi chegou
Puxa o banco, vem prosear
Bota água no feijão já tem lenha no fogão
Faz um bolo de fubá

Quem patrocina a escola, com exclusividade, é a alemã Basf, uma das seis maiores empresas que comercializam agrotóxicos no mundo. É, no mínimo, um contra senso falar de pequeno agricultor com verba que vem da venda de adubos químicos. Às vésperas do Carnaval, setenta organizações que compõem a Campanha Permanente contra os Agrotóxicos e pela Vida entregaram uma carta à vice-presidenta da Vila Isabel, Elizabeth Aquino.

O documento denuncia que a Vila está sendo usada pelo agronegócio brasileiro para promover sua imagem, que de acordo com os signatários está “manchada pelo veneno, pelo trabalho escravo, pelo desmatamento, pela contaminação das águas do país e por tantos outros problemas”. As entidades demonstram, baseadas em dados do Censo Agropecuário do IBGE de 2006, que o pequeno agricultor é responsável por 70% do alimento que chega à mesa dos brasileiros, mesmo ocupando apenas 25% das áreas agricultáveis. “Mesmo recebendo apenas 14% do crédito dado pelo governo à produção agrícola, a agricultura familiar emprega nove vezes mais pessoas por área e ainda é responsável por um terço das exportações agropecuárias do país. O outro modelo de produção, o agronegócio, abocanha 86% do crédito, 75% das terras, mas produz apenas 30% dos alimentos que compõem a alimentação da população e emprega somente 1,5 trabalhadores a cada 100 hectares”, informa a carta.

As entidades também pediram que uma faixa da Campanha Permanente fosse estendida na quadra da agremiação. A faixa vai agradecer o esforço da escola de valorizar os pequenos agricultores brasileiros. A vice-presidenta da escola concordou com a ideia desde que não haja teor político e que a mensagem passe pelo crivo e aprovação do presidente da Vila Isabel, Cleber Tavares.

De acordo com a carnavalesca, somente com o repasse da Prefeitura, nenhuma agremiação faz um carnaval competitivo. Mesmo com esses patrocínios o regulamento da Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa) impede qualquer tipo de merchandising. Portanto, a Basf e a Danone não aparecerão nas alegorias e adereços das escolas. No caso da Porto da Pedra, a ligação é direta e perceptível porque o enredo fala do produto iogurte. No caso da Vila Isabel não há uma relação aparente, mas o interesse em se aproximar de um discurso voltado para o campo, a produção sustentável e segura, utilizando o simbolismo do agricultor familiar, que usa enxada ao invés de maquinário moderno. Entretanto, muitos utilizam fertilizantes químicos em suas lavouras em troca de uma colheita rápida e farta.

O Carnaval 2013 coloca em destaque dois assuntos relevantes e atuais: o consumo de alimentos industrializados e agricultura familiar versus a produção em larga escala, que ameaça a biodiversidade, as economias e tradições locais. A leveza da festa não pode suplantar as questões implícitas em promover o consumo de iogurte e de adubos químicos. Isso porque os recursos financeiros estão inspirando às agremiações, que buscam competitividade ao passo que os patrocinadores buscam novos consumidores, além de dar visibilidade a sua marca. A alimentação pede passagem, mas financiada por grandes companhias.

Fonte: http://www.malaguetanews.com.br/destaques/alimentacao-pede-passagem
Redação Malagueta

Fonte: Meio & Mensagem e Contraosagrotoxicos.org
Texto: Juliana Dias
Edição de Imagens: Thalita Patriota

4 thoughts on “Agronegócio investe pesado no carnaval do Rio”

  1. O documento denuncia que a Vila está sendo usada pelo agronegócio brasileiro para promover sua imagem, que de acordo com os signatários está “manchada pelo veneno, pelo trabalho escravo, pelo desmatamento, pela contaminação das águas do país e por tantos outros problemas”.

  2. Quanta idiotice destes ambientalistas. Ficam todos convidados a visitar o agronegócio brasileiro, que por sinal, é o mais sustentável do Mundo. Povo que acha que o leite nasce no supermercado. Todo mundo mete o pau, mas ninguém quer ficar sem comer né???

  3. Taê, venceu a Vila Isabel da Basf e dos transgênicos.
    Coincidência???
    Sr. Renato Scariote, viva feliz consumindo os alimentos do agronegócio até onde conseguir, porque nem os próprios dono deste negócio consomem seus produtos…

  4. Como não consome??? Se acha que a Carne de frango, suína e bovina,vem de onde? Se acha que o alimento das vacas que te dá o leite é o que? Ou vaca agora tá fazendo fotossíntese? A lata de oléo que você compra no supermercado vem de onde? O Chocolate que você come vem de onde? A roupa que você veste vem de onde? O Combustível que você abastece vem de onde? A Cerveja que você toma vem de onde? O pneu do seu carro? è feito do que? A pipoquinha que você come no cinema, o amendoim que você come no circo, o arroz que tá na sua mesa… Por favor, deixamos de ser ignorantes…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *