Arquivo da tag: Política

MAIS QUE UM JOGO – Palestina livre!

Originalmente publicado no site Repórter Popular.

Em dia histórico, a Frente Inter Antifascista preparou uma recepção à comunidade palestina do estado e aos torcedores do Palestino do Chile, no jogo pela Libertadores na última quarta feira (10/04). Esse encontro foi possibilitado pela Direção do Clube, que cedeu o Parque Gigante, e pela articulação da torcida Colorada, incluindo representantes da Popular, Camisa 12 e Nação Independente. Após o encontro festivo, os visitantes foram escoltados pela torcida Colorada até o estádio – sem o auxílio da BM -, o que resultou em outro momento de confraternização, sem nenhum registro de violência. Mais tarde, durante a partida, muitas bandeiras da Palestina, a sinalizar a solidariedade de grande parte da massa vermelha ao povo irmão da Palestina. A Frente Inter Antifascista soma-se aos gritos de Palestina Livre frente ao terror de Estado perpetrado por Israel e EUA.

Viva a união dos povos, Viva a Palestina Livre!

Frente Inter Antifascista

Heavy Hour 34 – Deserto verde, floresta morta

Dando sequência na programação das hecatombes no Heavy Hour, a gente conversa com 4 participantes de um encontro que reuniu representantes de diversas comunidades que são impactadas pela monocultura de árvores e pelas árvores transgênicas aqui no Brasil assim como em outros países da América Latina. João Batista Guimarães, do Espírito Santo, Rosalva Silva Gomes, do Maranhão, Verónica González, do Chile, e Marília Gonçalves, aqui do Rio Grande do Sul, participaram deste evento organizado pela WRM, do Uruguai, e a Amigos da Terra Brasil e nos deram um panorama nada legal do que está acontecendo por todos os lados. Já não bastasse a soja, os povos tradicionais estão sendo esmagados há décadas por plantações gigantescas e amorfas de eucalipto e pinus, que servem apenas para a balança comercial, mas que para florestamento não contribuem em nada – muito pelo contrário!

Setlist:
Mercedes Sosa & Martha Argerich – Canción del árbol del olvido
Alton Ellis – Willow Tree
Billie Holiday – Strange fruit
Jethro Tull – Songs From The Wood
Victor Jara – El Derecho de Vivir en Paz
Sepultura – Territory

MAIS QUE UM JOGO | Um outro futebol é possível: a inspiração da Bahia

Originalmente publicado no site Repórter Popular.

Um dos comentários que mais ouvimos é estamos misturando futebol com política e isso não se faz. Apesar de tentar dialogar para mostrar o que realmente significa tratar de temas “políticos” (que não é o mesmo que pautas partidárias), pouco avançamos nessa questão. Além disso, ainda ouvimos grande parte da torcida gremista cantar músicas racistas, machistas e homofóbicas. Isto nos fazer pensar se é possível transformar o futebol.

De Salvador, o Esporte Clube Bahia (ECB) mostra ao Brasil que sim. O clube foi pioneiro na criação de um Núcleo de Ações Afirmativas, composto por membros do clube, professoras/es universitárias/os,  movimentos sociais e ONGS, que desenvolve ações para mostrar que o futebol pode ser mais democrático e que não combina com racismo, machismo e homofobia. Dentre estas ações, o combate à intolerância religiosa e à discriminação racial, que resgatou figuras negras da história do clube e do Brasil, e outros projetos como “Não há impedimento”, que combate a discriminação de gênero; e o Mulheres no Futebol, que busca aumentar a presença de mulheres na vida do clube. O Bahia também possui uma modalidade de sócio popular, medida importante para combater a elitização dos estádios. Além disso, o ECB, juntamente com Corinthians e Vasco, foi um dos únicos times da 1ª divisão que se manifestaram sobre os 55 anos do Golpe que iniciou a Ditadura Militar brasileira, no dia 1º de março.

O Esporte Clube Bahia nos mostra que não estão somente na Europa os bons exemplos de movimentos populares no futebol. Mais ainda, nos dá um exemplo brasileiro que, apesar de estar em seu início, já conquistou muito e mostrou que um outro futebol é possível: o futebol de todas e todos!

Leia também a matéria do portal El País sobre o momento do clube tricolor.

Movimento Grêmio Antifascista

Medo da Primavera – uma hecatombe em andamento

A vídeo-reportagem “Medo da Primavera – uma hecatombe em andamento”, que está sendo lançada na internet, teve sua pré-estréia durante o “Simpósio Internacional Sobre Mortandade de Abelhas e Agrotóxicos”, realizado no dia 28 de março na cidade de Mata, centro-oeste do Rio Grande do Sul.

O evento produzido pela APISBio (Articulação Para a Preservação da Integridade dos Seres e da Biodiversidade) recebeu cerca de 200 pessoas e foi dividido em duas mesas: “O problema da mortandade das abelhas” e “Natureza, instituições e responsabilidades”.

Graças às contribuições de palestrantes de diversas áreas de atuação, foi possível construir um conhecimento multidisciplinar sobre a questão. Na primeira mesa, por exemplo, fizeram parte: Jaílson Mack Bressan, membro da APISMA e Coord. do Grupo de Apicultores prejudicados pela mortandade de abelhas em Mata; Julio Roberto Barreto Cabral, vereador de San José, Uruguai, e membro da Sociedade de Fomento Rural Apícola; Ana Lúcia de Paula Ribeiro, Agrônoma e doutora em fitossanidade.

Após a fala do comunicador Marcelo Cougo, do Coletivo Catarse, a vídeo-reportagem foi exibida. Em seguida, após uma pausa, o evento prosseguiu com a segunda mesa. Nesta, o cenário de vários conhecimentos dialogando se intensificou. Jair Kriske, advogado e consultor da Rel UITA, explicou porque o episódio da mortandade das abelhas era uma violação de direitos humanos. Althen Teixeira Filho, Dr em anatomia, mostrou as semelhanças entre o sistema nervoso das abelhas e dos humanos, explicando como os agrotóxicos são danosos para ambos os organismos. Pedro Kunkel, militante do Movimento dos Pequenos Agricultores mostrou o contraponto ao modelo das monoculturas e dos agrotóxicos – a agroecologia. Kunkel compartilhou as sementes de milho crioulo que herdou de seus avós e mostrou a todos os presentes uma rara erva nativa: o manjericão bergamota.

Além de construir conhecimentos, o evento também pressionou as autoridades locais a agirem na resolução dos problemas causados pelos agrotóxicos. O prefeito de Mata, Sérgio Roni Bruning, esteve presente no evento assim como o promotor de justiça encarregado do caso, Éder Fernando Kegler, da Comarca de São Vicente do Sul.

A seguir, assita à vídeo-reportagem, uma coprodução do Coletivo Catarse com a APISBio, a APISMA e a UITA, que traz testemunhos e fatos sobre o acontecimento, deixando bem claro o que ocorreu, por que ocorreu e onde. Não foi um fato isolado – e isso traz muita perplexidade a todos os envolvidos. Ouça também dois programas Heavy Hour que trataram sobre o tema:

Heavy Hour 33 – 02.04.19 – Literatura pesada! Expressão da arte para existir, remexer e não ignorar

Esta edição do Heavy Hour vem com duas figuras fantásticas da literatura contemporânea aqui de Porto Alegre – e do mundo! Natália Xavier e José Falero fazem sua prosa no Estúdio Monstro e apresentam ritmo e poesia com suas obras. Vila Sapo, de Falero, é um livro de contos que conta o dia a dia de exclusão dentro de uma zona de exclusão na Lomba do Pinheiro; já Do Inferno ao Inverno é obra de corpo puro – poesia visceral. Tem também participação de Deborah Finocchiaro, dando a letra sobre Caio Fernando Abreu do seu trabalho Caio do Céu, em circulação pela fronteira gaudéria, e Simone Dornelles, educadorartivista da Língua Brasileira de Sinais LIBRAS. No som, tem obra saída de oficina de letras de música no Quilombo do Sopapo, demais!

E o Livreiro Bolivar (51-989.050.672) com “A Colonização explicada a Todos”, de Marc Ferro.

Vamos ler, pra não se ficar falando abobrinhas homéricas por aí e se correr o risco de virar…presidente do Brasil!

Setlist:
Racionais MCs – Da ponte para cá
Doze Doses – Me Deixa Quieto
Iron Maiden – Stranger in a strange land
Wander Wildner – Without You
Hermano Chiapas – Trampo Forte
Elza Soares – A carne